Felipe Gomes

Nome Completo
Felipe de Souza Gomes

Idade
34 anos

Cidade Natal
Campos dos Goytacazes - RJ

Data de Nascimento
26/04/1986

Classe
T11

felipe-destaque.jpg

Medalhas Paralímpicas

  • Ouro - Londres 2012 (200m T11)
  • Bronze - Londres 2012 (100m T11)
  • Ouro - Rio 2016 (revezamento 4x100m)
  • Prata - Rio 2016 (100m T11)
  • Prata - Rio 2016 (200m T11)
  • Prata - Rio 2016 (400m T11)

Medalhas Mundiais

  • Bronze - Dubai 2019 (400m T11)
  • Bronze - Dubai 2019 (100m T11)
  • Ouro - Doha 2015 (200m T11)
  • Prata - Doha 2015 (100m T11)
  • Prata - Lyon 2013 (100m T11)
  • Prata - Assen 2006 (revezamento 4x100m)

Medalhas Parapan-Americanas

  • Ouro - Toronto 2015 (400m T11)
  • Ouro - Toronto 2015 (revezamento 4x100m)
  • Prata - Toronto 2015 (200m T11)
  • Prata - Lima 2019 (100m T11)
  • Prata - Lima 2019 (400m T11)
  • Prata - Rio 2007 (100m T11)
  • Bronze - Rio 2007 (200m T11)

Fotos

Ninguém é tão completo quanto Felipe Gomes. Aos 34 anos, Felipe tem uma bagagem invejável. São 6 medalhas em 3 paralímpiadas : 2 ouros, 3 pratas e 1 bronze, conquistas que o colocam entre os maiores medalhistas paralímpicos brasileiros de todos os tempos.

Apesar de parecer, nem tudo foi fácil em sua carreira. Natural de Campos dos Goytacazes, começou a perder a visão aos 6 anos de idade, devido a um glaucoma congênito, seguido de catarata e descolamento de retina. Sem nenhum resíduo visual passou por outros esportes, como Futebol de 5 e Goalball, antes de chegar ao Atletismo em 2003.

Em sua primeira Paralimpíada, Felipe sofreu com contusões que comprometeram seu desempenho e voltou de Pequim 2008 sem medalhas. Deu a volta por cima em Londres 2012. Com uma preparação mais profissional, cuidando melhor da recuperação e da alimentação conquistou sua primeiras medalhas. Nos Jogos Paralímpicos Rio 2016 teve o ponto alto de sua carreira, conquistando medalhas em todas as 4 provas que disputou, se tornando o maior medalhista brasileiro do atletismo nesta edição dos jogos. Em 2019, aos 34 anos, conquistou 2 medalhas no campeonato Mundial de Dubai, se credenciando  a sonhar com mais medalhas Paralímpicas e quem sabe se tornar o maior medalhista do Atletismo Brasileiro em todos os tempos.